Honduras: Quem deu o golpe?

*Roberto Fendt

O presidente deposto, eleito pelo Partido Liberal, tornou-se chavista. Tendo à frente eleições em novembro, propôs alterar a constituição do país para concorrer à reeleição. A proposta foi rejeitada pelo Congresso. Ignorando o Congresso, decidiu convocar um plebiscito para substituir o sistema representativo por uma consulta direta “às ruas”. A convocação foi considerada ilegal por todos, do promotor e defensor dos direitos humanos, ao ministério público, ao Superior Tribunal Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal locais. O presidente Zelaya solenemente ignorou a todos e manteve o plebiscito.

"A intervenção de Chávez foi alarmante. Mandou rodar as cédulas do plebiscito e fazer as urnas, e as enviou a Tegucigalpa. Insultou as autoridades constituídas hondurenhas - judiciais, militares e parlamentares. Chamou o chefe do Estado Maior, general Vásquez, de ‘gorila e traidor’. E colocou suas Forças Armadas de prontidão. O presidente Zelaya foi ao aeroporto, com seus correligionários, receber o material desde Caracas. As urnas foram distribuídas por uma frota de táxis contratados”, afirma o Ex-Blog.

Em vista de tudo isso, o Supremo Tribunal Federal de Honduras determinou a prisão do presidente e deu posse ao presidente do Congresso. Não há notícias de reconhecimento diplomático do novo governo. Em nossa sofrida América Latina a pergunta que fica é: quem foi o golpista?

*Vice-Presidente do Instituto Liberal

Mais por este Autor:
Artigos Relacionados: