O Supremo Tribunal Federal e sua pretensão de julgar os costumes brasileiros

*Reynaldo De Biasi Silva Rocha

A partir de 13 Fev 2019, o STF vai analisar ações que visam a criminalização da homofobia, a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal, e o aborto de grávidas infectadas com vírus da zika.

Nós, brasileiros, não podemos aceitar que uma entidade constituída de pequeno número de pessoas intimamente ligada ao PT, partido que sempre objetivou a implantação do Comunismo no Brasil através da destruição de nossa sociedade, delibere definitivamente sobre tais temas.

A criminalização da homofobia quer proibir pastores evangélicos de pregarem contra a homossexualidade em seus templos
, impedindo a liberdade da palavra e a defesa dos princípios de sua religião. A descriminalização do porte de maconha para uso pessoal já foi tentada em outros países, não como uma solução para atender aos dependentes, mas sim, em obediência ao Comunismo Internacional, como a abertura de uma porta para o consumo de drogas pesadas, tendo por fim a aniquilação da Nação. O aborto de grávidas com vírus de zika é mais um precedente que se soma ao caminho para a aprovação do aborto legal no País, contrário aos princípios morais e religiosos de nosso povo. O ABORTO É UM CRIME!

Confiamos no patriotismo de nosso Presidente e na visão do Congresso, para que se contraponham à supracitada entidade, inescrupulosa, execrada e desacreditada pela população, não aceitando passivamente suas decisões – afinal, os Poderes são independentes. O julgamento dos costumes nacionais cabe somente àqueles que representem, de forma ampla, os cidadãos, não a algumas pessoas deles totalmente desconectadas.

 


Presidente do Grupo Inconfidência

Mais por este Autor:
Artigos Relacionados: