Já afirmamos que Amazônia é nossa - o que fazer para conservá-la nossa?

 

A Amazônia, esta colossal e riquíssima área brasileira, foi e continuará cobiçada pelos países hegemônicos. Não podemos perdê-la!

O Presidente, com sua determinação peculiar, já fez ver ao mundo que ela é e será sempre nossa. Mas, para isso, precisamos estar atentos, sem descartar a hipótese de uma intervenção militar internacional naquela que chamam de “patrimônio da humanidade”, sob o pretexto de disponibilizá-la para todos.

QUAIS SERIAM AS ATITUDES A SEREM POR NÓS TOMADAS NA CITADA REGIÃO, PARA MANTÊ-LA CONOSCO?

- No CAMPO MILITAR, a implementação da estratégia defensiva da DISSUASÃO, já expressada pelo Comandante do Exército.

- No CAMPO DIPLOMÁTICO, a contraposição permanente à pressão estrangeira pelo seu domínio.

- No CAMPO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL:

. a regularização fundiária, definindo legalmente de quem é determinada terra, para responsabilizar aquele que deve prestar contas por um crime cometido, providência aventada pelo Ministro Ricardo Salles;

. a exploração legal da agricultura e pecuária, sem queimada da terra como habilitação para o cultivo;

. o prosseguimento da luta para modificar a demarcação das terras indígenas, “indústria” iniciada na década de 1990, particularmente em Roraima, a parcela de terra mais rica do País;

. o “desengessamento” da Amazônia como todo;

. a supressão, no local, das ONGs nocivas a serviço dos cobiçadores;

. a retirada das falsas missões religiosas promovidas por outros países, que na realidade se constituem em grupo de geólogos empenhados em pesquisar e extrair nossas riquezas minerais;

. a exploração mineral em terras indígenas, que pertencem à União, tema já defendido pelo Presidente;

. a criação da possibilidade de evolução das comunidades indígenas, através da integração à exploração mineral e agrícola, proporcionando-lhes sustento, opinião do Gen Villas Bôas, assessor do GSI.

- No CAMPO DA AÇÃO PSICOLÓGICA, a conscientização da sociedade brasileira quanto à indispensabilidade de defender a nossa soberania na área, propagando esta atitude, e apoiando o Presidente Bolsonaro na patriótica cruzada.

Se tivermos, em âmbito nacional, uma FORÇA MILITAR preparada, um PODER ECONÔMICO expressivo e uma DIPLOMACIA eficaz, o Brasil manterá a possibilidade de opor-se àqueles que pretendem subjugar-nos.

Presidente do Grupo Inconfidência

Mais por este Autor:
Artigos Relacionados: