A “Escola Sem Partido”

Belo Horizonte é a primeira capital estadual a aprovar, em 1º Turno, através de sua Câmara Municipal, o Projeto de Lei “Escola sem Partido”. Constitui-se em uma vitória expressiva!

O Movimento Escola Sem Partido foi fundado pelo Adv Dr. Miguel Nagib, que o conduz com determinação e firmeza.

O Programa “Escola Sem Partido” é uma proposta de lei que torna obrigatória a afixação em todas as salas de aula do ensino fundamental e do ensino médio, de um cartaz com os DEVERES DO PROFESSOR. Tem como objetivo contrapor-se à estratégia de Paulo Freire, condutor marxista da educação, que a define como “um ato político”. Os debates pedagógicos da década de 1980, baseados nas ideias de Antonio Gramsci, comunista italiano, concorreram para instigar professores a buscar uma relação íntima de seu caráter profissional com a hegemonia política, na verdade a hegemonia da classe trabalhadora, visando fornecer efetivo respaldo às ações do PT.

QUAIS SÃO OS “DEVERES DO PROFESSOR”, CONSTANTES DA PROPOSTA ACIMA?

- 1º Dever - “Não se aproveitar da audiência cativa dos alunos, para promover os seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias”.

- 2º Dever - “Não favorecer nem prejudicar ou constranger os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas, ou da falta delas”.

- 3º Dever - “Não fazer propaganda político-partidária em sala de aula, nem incitar seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas”.

- 4º Dever - “Ao tratar de questões políticas, socioculturais e econômicas, apresentar aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma profundidade e seriedade – as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito”.

- 5º Dever - “Respeitar o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com suas próprias convicções”.

- 6º Dever - “Não permitir que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de estudantes ou terceiros, dentro da sala de aula”.

Desse modo, verificamos que a “Escola Sem Partido” é imprescindível para romper o círculo vicioso da doutrinação marxista de nossas crianças e jovens. Seu programa é 100% sem Partido – é por isso que contraria os Partidos ligados ao Comunismo.

Ele cria uma censura para o Professor? Censura significa limitação à liberdade de expressão. Ora, os Professores não têm liberdade de expressão – cabem a eles ater-se ao ensino da matéria da cadeira para a qual foram habilitados – Matemática: o Professor ensina Matemática; Português: o Professor ensina Português; etc.

Em face do acima exposto, o Dr. Miguel Nagib recomenda aos pais:

- examinar o material escolar e informar-se da condução do ensino, no Colégio de seus filhos;

- caso confirme que a Ideologia de Gênero está sendo divulgada para seus filhos na Escola, entrar com um processo de reparação de danos morais contra a Pessoa Jurídica no caso da Escola Particular, ou contra o Servidor Público (Professor), no caso da Escola Pública – o processo pode ser movido até 3 anos da ocorrência do fato – o Colégio atingido vai entrar em pânico.

Com relação às Igrejas, sugere aquele aos advogados católicos e evangélicos atacar tal Ideologia, e buscar convencer os sacerdotes de seu relacionamento a manifestar-se.

VAMOS ENGROSSAR AS FILEIRAS DE APOIO AO DR. MIGUEL NAGIB E ACATAR SUAS SUGESTÕES, INCLUSIVE CONTACTANDO DEPUTADOS E VEREADORES PARA QUE SANCIONEM O PROJETO EM QUESTÃO EM SUAS ÁREAS TERRITORIAIS.

Reynaldo De Biasi Silva Rocha – Coronel Reformado do Exército

Mais por este Autor:
Artigos Relacionados: