O valor do novo ENEM

* Reynaldo De Biasi Silva Rocha

A imprensa tradicional, em sua grande maioria a serviço do Comunismo Internacional, ao qual é subordinada, constitui-se em uma eficaz arma para influir na população, visando sua adesão ao Marxismo.

Lula, focado nessa afirmação, percebeu a importância de um instrumento criado em 1998, com o objetivo de avaliar a capacidade dos alunos concludentes de determinado grau de ensino: o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio.

Por que, pensou ele, não aproveitar tal ferramenta para conquistar corações e mentes da juventude, aliando seu objetivo ao da imprensa amestrada?

O condutor do PT sentiu como seria valioso esse Exame para suas pretensões, se dirigindo-o, nele introduzisse questões que abordassem a luta de classes, o confronto de raças, a difusão do Comunismo, o ódio aos militares e a desintegração da família conservadora.

E assim vingou a pervertida ideia, que se prolongou no governo de Dilma.

Lula considerou que o jovem submetido a um ENEM dominado por conteúdo marxista, ficaria manietado pela pressão de dois fatores: o primeiro, a obrigatoriedade de estudar a fundo a teoria socialista, pois a prova exigia esse conhecimento, e o segundo, o medo de responder contrariamente às perguntas sob o ponto de vista de seus julgadores obedientes ao citado Presidente, caso não tivesse tal cultura.

Desse modo, os estudantes conduzidos a receberem tais ensinamentos tornados atrativos por professores de esquerda de seus cursinhos, teriam grande possibilidade de unir-se ao Comunismo.

Com a ascensão de Bolsonaro, o ENEM em 2019 perdeu seu caráter ideológico, constituindo-se em uma prova neutra com questões focalizadas no conteúdo escolar, sem interpretação política incluindo a não-exploração de minorias, sem abordagens controversas e sem teor ofensivo a grupos.

Para demonstrar que o Governo não apoiou-se em radicalismos, destacaram-se no Exame questões de direitos humanos, racismo, violência contra a mulher, refugiados e escravidão.

Em suma, a prova buscou selecionar pessoas mais qualificadas, alijando a doutrinação e a divisão, como citou o Ministro Weintraub.

Elogiada a estrutura do ENEM/2019 por especialistas nas diversas matérias do ensino médio, será um padrão de referência para vindouros exames correlatos.

Presidente do Grupo Inconfidência

Mais por este Autor:
Artigos Relacionados: