Porque a esquerda brasileira rejeita os militares

*Luiz Felipe Schittini

Foro de São Paulo: criado em 1990 por Lula e Fidel Castro com a finalidade de recuperar na América Latina o que foi perdido no leste europeu

Com a queda do Muro de Berlim em1989 e a dissolução da antiga União Soviética em 1991, alguns acreditam que o Comunismo morreu. Aí está um crasso erro de avaliação.
 
Há países comunistas na atualidade como a China, Coréia do Norte, Cuba, Vietnam do Norte e Laos e outros com um socialismo dotado de um partido forte, caminhando a passos largos para atingir o objetivo final, o comunismo, entre eles a Nicarágua, El Salvador e Venezuela.
 
Na teoria marxista, o socialismo com um partido forte de esquerda é um estágio intermediário entre o fim do capitalismo e a implantação do comunismo.
 
Em 1990 o Partido dos Trabalhadores de Lula e o Partido Comunista Cubano de Fidel Castro criaram o FORO DE SÃO PAULO. Essa instituição reúne diversos partidos de esquerda das Américas do Sul e Central com objetivo único: um grande PACTO para implementação do comunismo na América Latina. As grandes lideranças do grupo são: o Brasil (PT e seus aliados: PC do B, PSOL, PSTU, Rede), Cuba, Venezuela, El Salvador, Nicarágua, Bolívia, Equador, Argentina e Uruguai.
 
A mídia publicou uma foto do velório de Fidel Castro (04 dez 16) em que apareceram juntos Lula e Dilma com pequenas bandeiras cubanas nas mãos. Esses ex-presidentes continuam a falar mal do Brasil no exterior, sob o pretexto que houve um golpe, criando um clima de instabilidade institucional no país, perante o cenário internacional. Essa atitude afugenta investidores estrangeiros, que poderiam minimizar o desemprego, gerando milhares de postos de trabalho. Considero a atitude deles, um crime de lesa-pátria e de traição ao povo brasileiro.
 
De um comunista tudo pode se esperar. Em 1935 quando Luiz Carlos Prestes, com o auxílio da antiga União Soviética e China, tentou implantar o comunismo, ele foi bem enfático: “Em caso de uma luta armada entre o Brasil e a União Soviética, não hesitarei em ficar do lado desta”.
 
Os governos petistas (2002 à 2015) tentaram de várias maneiras através da filosofia gramsciana (Antônio Gramsci foi um filósofo italiano marxista, que quando preso, escreveu as CARTAS DO CÁRCERE. Nelas ele afirmava que a tomada do poder não se faria mais por armas e sim pela mudança de conceitos e idéias) e do Decálogo do Comunismo elaborado por Karl Max, transformar gradualmente o socialismo reinante em comunismo. Por pouco não atingiu o seu objetivo, graças às manifestações de ruas da população civil, apoiada por grupos de empresários, líderes civis e religiosos, além de integrantes das Forças Armadas, principalmente inativos.
 
A nossa esquerda constituída principalmente de membros dos partidos (PT, PSOL, PC do B, Rede, PSTU, PDT), artistas, intelectuais, estudantes e membros da mídia escrita, televisada e radiofônica procuraram “desqualificar” os adversários do comunismo tão sonhado por eles, chamando-os de CONSERVADORES, DE DIREITA, RETRÓGRADOS, COXINHAS, FASCISTAS e até NAZISTAS.
 
Finalizando, gostaria de explicar as razões de ódio que a nossa esquerda nutre pelos militares, porque eles: –
- Evitaram a implantação do comunismo no Brasil em 1935, derrotando Prestes e seu grupo, apoiados pela antiga União Soviética e China - –INTENTONA COMUNISTA;
- – Evitaram novamente a implantação do Comunismo no Brasil em 1964 através do Movimento Cívico-Militar de 31 de Março, destituindo políticos apoiados principalmente pela antiga União Soviética e Cuba. Che Guevara foi condecorado pelo então presidente Jânio Quadros e esteve inclusive escondido em um apartamento, no bairro da Glória – Cidade do Rio de Janeiro, articulando a tomada do poder pelos comunistas. O sonho de Fidel Castro e Che Guevara era que o maior país das Américas do Sul e Central se tornasse comunista. Assim seria mais fácil implantá-lo nos demais países.
 
Infelizmente a maior parte dos livros de História omite os fatos acima e docentes esquerdistas passaram dolosamente acontecimentos irreais os nossos jovens. Na teoria marxista, o socialismo é um estágio entre o fim do capitalismo e a implantação do Comunismo. 
 
Posso afirmar sem cometer erros, que pessoas com idade de 50 anos para baixo, sofreram uma verdadeira “lavagem cerebral” por parte de professores esquerdistas, nas escolas, faculdades e universidades. Eles têm uma concepção de que os militares deram um golpe na democracia vigente em 1964. A verdadeira história é que houve um apelo generalizado de todos os segmentos da sociedade civil, religiosa e política, para que os integrantes das Forças Armadas interviessem a fim de que o Brasil não se tornasse a nova Cuba da América do Sul. Graças aos militares o Brasil não se tornou um país de regime comunista.
 
Houve embates e torturas envolvendo militares e guerrilheiros que tentaram implantar o regime à força. O Ten. PMESP Alberto Mendes Júnior em 1970, no vale da Ribeira /SP foi torturado pelos guerrilheiros da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e teve seu crânio esfacelado a golpes de fuzis. Infelizmente numa guerra há necessidade de tortura, para obter informações rápidas sobre o paradeiro dos inimigos.
 
As pessoas que viveram naqueles anos turbulentos da década de 60 são as maiores testemunhas oculares do que realmente aconteceu. Os livros são escritos por homens e alguns infelizmente são mentirosos, capazes de distorcer o que realmente aconteceu.
 
Não podemos esquecer os ensinamentos deixados por Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda da Alemanha nazista de Hitler: “"de tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade".” 
 
Esperamos que algum dia a verdade prevaleça, e a parcela da população que tem uma grande aversão aos militares brasileiros, reconheça a injustiça que cometeram contra eles. Muitos morreram em prol da sua pátria e dos seus filhos, para que o Brasil não se tornasse o novo satélite da então toda poderosa União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).
 
* TEN CEL PMERJ

 

Mais por este Autor:
Artigos Relacionados: